Translate The Blog - Click Here / Traduza o Blog - Clique Aqui

sábado, 21 de julho de 2012

Tolerância. A Postura do Sábio






Por Maurício A Costa*


“O ser humano é livre por natureza. Por ter consciência de si mesmo, goza de plena liberdade, e por suas escolhas é responsável. O destino é apenas um imaginário ponto de referência, porque nada no universo tem caráter definitivo. Há um chegar e partir em cada estação; mas a beleza no decorrer da viagem somos nós que definimos. Aquilo que eu decidir ver como belo, ainda que à revelia do mundo, assim o será.” ('O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível – Campinas-SP).
____________________________


Certa vez, ainda nos dias de minha adolescência, ao demonstrar uma atitude um tanto radical com determinada pessoa, escutei do pai de um dos meus melhores amigos, homem de grande simplicidade e sabedoria, uma frase que me marcaria para sempre: “Filho, não se inquiete dessa maneira tentando corrigir o mundo à sua volta. Aceite as pessoas como elas são e você será mais feliz. Quando você pensa ou age de maneira intransigente em relação aos outros está bloqueando sua mente para o novo, que lhe permite ver o mundo de uma forma diferente. Além do mais, ao adotar posturas intolerantes você estará criando energias negativas que lhe consomem, e podem causar graves doenças”.

Até hoje, tanto tempo depois daquela inesquecível lição de vida, ainda o escuto falar ao meu ouvido cada vez que me flagro numa atitude intransigente com relação às pessoas à minha volta, e faço de suas palavras um verdadeiro mantra, que precisa ser repetido a todo momento, pois frequentemente nos vemos diante de situações que nos desafiam a paciência, a tolerância e a humildade. Queremos na maioria das vezes pensar pelo outro, e induzi-lo de todas as formas possíveis, até à exaustão, a aceitar nosso ponto de vista, como se fossemos donos absolutos da verdade; ignorando que cada uma de nossas almas fez a sua ‘viagem’ através de infinitas gerações, de maneira única, trazendo informações totalmente diferentes daquelas que o outro carrega. Como seria possível, portanto, pretender que outro ser humano possa assimilar nossa forma de pensar em relação a algo, se nem mesmo nós, nos sentimos seguros com determinados pensamentos, conceitos ou definições? Quantas vezes vivenciamos desgastantes conflitos pessoais, ou nos pegamos em comportamentos incoerentes com nosso discurso?

Identificar o inimigo íntimo chamado egoísmo é, sem dúvida alguma, um desafio constante, que precisamos enfrentar o tempo todo, pois na maioria das vezes, nossa intolerância nasce dessa vaidade pessoal, por nos ‘acharmos’ donos da verdade; e essa falta de humildade nos torna cegos, até mesmo diante do óbvio. Agindo de maneira arrogante frente a qualquer ideia que se apresente diferente do nosso pensar, tendemos a reagir de maneira autoritária sempre que somos contrariados. E é essa postura intolerante que torna a vida desgastante. Quiçá, por produzir uma avalanche de ‘radicais livres’ em nosso organismo, que como ferrugem, consome nossa energia vital, e consequentemente nos faz vulneráveis a enfermidades que vão da gastrite, à bronquite, da pneumonia ao câncer. Tornamo-nos irritadiços quando minimamente contrariados e esse comportamento precipita inimizades e até separações conjugais.

Muitos não percebem também que podem destruir suas carreiras profissionais ou empresariais por ignorar a ação desse poderoso inimigo íntimo a corroer-lhes o bom humor, a paciência e a capacidade de compreensão. Devido a isso, tornam-se seres insuportáveis, indesejáveis ou antipatizados. Passam a ser evitados, consequentemente solitários; e assim, gradualmente sem forças para modificar tais posturas, vão aprisionando suas almas em gaiolas construídas de maneira inconsciente. Irracionalmente, jogam fora enormes oportunidades e morrem lentamente, asfixiados dentro de suas próprias conchas.

A intolerância costuma produzir falsos líderes políticos ou religiosos, que inevitavelmente estimulam posturas dogmáticas e radicais, a desencadear sangrentas e desnecessárias batalhas ideológicas, por conta do fanatismo gerado a partir da intransigência de doutrinas, propagadas como verdade única. E é nesse ambiente, que a intolerância encontra terreno fértil para disseminar-se e tornar-se fonte de conflitos de toda ordem. Famílias se desorganizam, amigos se estranham, organizações se esfacelam, países se desintegram devido a posturas prepotentes de seus líderes; que ainda por cima, se sentem como deuses, inatacáveis, invioláveis, inatingíveis; fazendo-nos assistir atônitos, uma degradação sem limites dos valores humanos ultrajados pela submissão, o medo e a manipulação.

Por ser uma atitude mental caracterizada pela falta de respeito ao próximo, a intolerância demonstra falta de habilidade para a convivência social e revela certo tipo de preconceito. Pensando dessa forma, poderia até ser tratada como uma transgressão, imputável, portanto, de penalidade por dolo ou culpa, como um delito, por violar direitos coletivos ou individuais. Exagero? Não. A maior parte dos conflitos da humanidade tem origem na intransigência, e é a causa de angústia para muitos. A intolerância é a postura às vezes disfarçada, dos países dominados por partidos políticos radicais e das religiões fundamentalistas. O 'bullying', a homofobia, o feminismo, o racismo, são exemplos claros do preconceito social resultante da intolerância.

A construção de uma marca pessoal forte passa necessariamente por uma profunda reflexão deste tema. É decisiva uma constante tomada de consciência de nossas atitudes em relação ao outro, especialmente quando passamos a enxerga-lo como uma extensão de nós mesmos. A consciência dessa complementaridade revela a importância da diversidade no universo e nos coloca frente a frente com a complexidade dos relacionamentos, que resulta da individualidade. Subestimar a informação, a ideia, ou o conhecimento que vem através do ‘outro’ é no mínimo uma falta de bom senso. Afinal, se no todo está contida a sabedoria do universo, é sábio escutar, duvidar, e analisar.  

"A maior desarmonia entre seres humanos não tem origem na diferença de cor, sexo, padrão social ou nível de inteligência. Ela é gerada pelo bloqueio mental causado por crenças, dogmas e doutrinas. Não há nada de sobrenatural no universo. Livre-se desses paradigmas. A força e magia da vida estão dentro de você." ('O Mentor Virtual II - Elo Invisível - Campinas-SP).
_____________________________________________







*Maurício A Costa foi executivo de empresas como a Kimberly Clark, o Grupo Gerdau, e o Grupo Grendene/Vulcabrás. É o idealizador do Projeto Mentor Virtual; um empreendimento focado no despertar da consciência humana, visando encorajar transformações e valorizar a vida. 

É o autor da série 'O Mentor Virtual', e está disponível para palestras, conferências e workshop (presenciais ou por vídeo conferência) que poderão mudar a sua visão do mundo e alavancar o potencial de sua equipe. 


Contatos:




4 comentários:

  1. Maurício,

    Impressionante a sintonia que tenho com seus textos, as vezes paro para ler o que escreve, e sempre o reafirmo em meu pensamento. Ontem tive um embate de crenças com uma pessoa e só depois me dei conta, que apenas se tratava disso, e que me desgastei, apenas para defender meu ponto de vista. Conclui junto a pessoa, que ao defender minha verdade, parecia cega em relação a dela. Que bom que pude acordar para isto; exercitar nossa consciência é algo desafiador, mas quando entramos nela pela semente do amor e do compartilhar, nos tornamos mais próximos de Deus. Super abraço!

    ResponderExcluir
  2. TOLERÂNCIA.... Não significa se calar! Há que se falar no momento certo; na hora certa. Com as palavras certas!

    Por muito tempo me calei e hoje tenho muito a dizer. Me nego a me calar... Há circunstâncias, que o silêncio diz muito. Mas por outro lado, preciso gritar bem alto a minha 'intolerância'...

    SUPLICA... DA NOSSA MÃE GENTIL

    As palavras ecoam em nossos ouvidos.
    Como um lamento profundo...
    Oriundo... Quiça, de outro mundo.
    Todos querem nos dizer: Salve! Salve! Pátria Amada!

    Mas idolatram, 'Justin Bieber', 'Rebook', 'All Star'!
    E os filhos da Pátria Amada Mãe Gentil,
    amargam noites vazias ao relento e ao frio.
    Desemprego, fome... Onde estão os 'homens'?

    Os filhos que não fogem à luta... Labutam!
    Ao sol da liberdade, por um pedaço de chão.
    Mas, os quinhões, os 'leões' lhes roubam o suor.
    E lhes devolvem ao céu estrelado da Pátria Mãe Gentil!

    A Mãe Gentil... Chora! Implora e chama à razão.
    Pois não é esta sorte, que deseja a seus filhos amados.
    Esta Nação, gigante por natureza, há de ter coração...
    Que sejam meus filhos amados... Salvos!

    Pelo amor ao nosso Pendão!
    Ordem e Progresso... Para todos, sem distinção.
    Que sejam meus filhos amados... Idolatrados!
    Num só coração!

    ...Este é meu 'grito' de intolerância... Sábia, não sou! Sou apenas uma "aprendiz"...

    Abçs. carinhosos Mauricio.

    ResponderExcluir
  3. Olá Maurício, amo os seus textos publicados e concordo com tudo o que vc escreveu. Grata por compartilhar. 💥🌟🔥

    ResponderExcluir
  4. Olá Maurício, amo os seus textos publicados e concordo com tudo o que vc escreveu. Grata por compartilhar. 💥🌟🔥

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar aqui as marcas de sua passagem...
Seus comentários serão sempre bem vindos.