Translate The Blog - Click Here / Traduza o Blog - Clique Aqui

domingo, 14 de agosto de 2011

Poetas, Tolos e Sonhadores...



Por Maurício A Costa*


"Todos os dias ao entardecer, o sol nos oferece um espetáculo de extraordinária beleza. Na verdade, não é apenas o sol que está produzindo essa visão magnífica; milhares de anônimas gotinhas esparramadas na atmosfera, combinando, refletindo ou difratando luzes e cores participam desse show de incomparável harmonia e perfeição; percebido exclusivamente pelos olhos atentos daqueles que valorizam o esplendor da vida, contido em cada ínfima partícula do universo".  (O Mentor Virtual - Pág. 151 - Editora Komedi - Campinas-SP - 2008).
________________________________________________


Alguns dias atrás, um amigo meu me chamou em particular para dizer algo que o estava incomodando. Falava como se contasse um enorme segredo, me pedindo para que guardasse comigo aquilo que ele iria dizer, afinal, disse ele: 'sou seu amigo e desejo só o melhor para você'. Procurei deixá-lo tranquilo quanto ao seu 'segredo', e depois de algum preâmbulo, ele 'revelou': 'Sabe, Mauricio, tem gente por aí que te acha um tolo, te vê como um sonhador, um cara fora da realidade'... E com um ar solene, continuou: 'Um dia desses, uma dessas pessoas me comentou que considerava você um poeta, e não um estrategista ou consultor, e que no mundo atual não há espaço para isso, pois vivemos numa selva de pedras onde é um salve-se quem puder, cada um por si e Deus por todos; e nessa selvageria não há lugar para o poeta...'

Durante algum tempo observando aquela pessoa à minha frente, enquanto ela falava, eu me entristeci momentaneamente; não pelo que ouvira, pois 'o poeta' sabe que na maioria das vezes estará sozinho. Sabe que muitos não estarão na mesma sintonia que ele, e que poderão ter uma visão completamente diferente da sua, por conta de viverem momentos distintos. Na verdade, minha tristeza era causada por saber que era ele quem estava pensando daquela forma e não 'outros'; e o meu pesar vinha do fato daquele ser humano não ter coragem de expressar sua própria opinião, de dizer o que pensava de maneira clara e transparente; precisava de subterfúgios para transmitir ao mundo suas idéias e opiniões. Por instantes senti o gosto amargo da hipocrisia, e o ácido sabor da falsidade que permeia na maior parte do tempo as relações da humanidade, camuflada sob as mais diversas 'personas'; por meio de máscaras que escondem a verdadeira identidade da alma de cada um, para encobrir interesses pessoais dos mais diversos, na luta pela sobrevivência, pela segurança ou pelo poder de dominação.

Depois de refletir sobre esse bizarro diálogo, antes que alguém me diga que o meu amigo estava apenas sendo sincero comigo ao me alertar sobre as serpentes pelo caminho, eu revelo que me dei conta na verdade, de que, aquilo que chamamos de 'amigo' pode ser a própria serpente. E quando uso aqui a palavra serpente, não a uso no sentido pejorativo, de algo venenoso, refiro-me sim ao sentido figurado de sabedoria usado pelos antigos, pois a serpente sempre foi utilizada como símbolo da prudência. 'Sede dóceis como a pomba e prudentes como a serpente', dizia Jesus Cristo, o maior de todos os 'poetas'; o 'cara' que mesmo sem ter escrito uma única página (suponho...), deixou um dos mais belos poemas que a humanidade já conheceu; assinando com o próprio sangue aquilo que sua alma expressava através de palavras. Avesso a religião, incitava a reflexão, a compaixão e o conceito de complementaridade como fundamentos para se viver permanentemente no céu; ou seja, com a sensação de estar bem consigo e com o mundo à sua volta.

O que apreendi daquele furtivo encontro foi que, o universo parecia querer me transmitir uma lição: a de que eu deveria ser mais 'prudente', e passar a não mais expressar aquilo que sentisse ou pensasse de maneira aberta e transparente, especialmente para aqueles que não estivessem prontos para a mensagem; ou como o grande mestre ensinava, 'não jogar pérolas aos porcos'. Em palavras menos arrogantes, não tentar ajudar, apoiar, ou assessorar aquele que não 'deseja de coração', a ajuda, o apoio ou o aconselhamento. Como sabemos, há muitos que estão demasiadamente presos a 'grudentos' paradigmas, muitos dos quais alicerçados nos ensinamentos de ancestrais, ou na futilidade de uma sociedade consumista que impele o ser humano ao desejo de conquistar mais poder, mais bugigangas, e mais status, e se transformam em guerreiros agressivos, sem limites e sem pudores; capazes de iludir, chantagear, subornar, mentir, ou até mesmo matar para saciar seus instintos e desejos. Por essa razão, é inútil querer ajudar àquele que se julga auto suficiente, e arrogantemente não abre mão de suas posturas. 

Nem por isso, há que se criticar ninguém por agir assim, e taxá-lo como inferior ou maldito. A expressão 'porcos' do texto citado não carrega o propósito de definir alguém como repulsivo ou desprezível, mas  sim, para localizá-lo no tempo como uma criatura que não atingiu o nível de consciência maior, e portanto, está distante do seu potencial de evolução. Como ensina o 'mentor virtual', o certo e o errado são apenas convenções momentâneas, pois, não há verdade absoluta, senão aquela na qual se acredita. “Verdades e mentiras são meras ilusões do caminho. A mesma paisagem vista de janelas diferentes. Apenas flashes de um momento; frações de segundo de uma viagem em que a alma se encanta a criar fantasias por querer perpetuar o que a seduz”. Por isso, quem se expressa, verbalmente ou por escrito, deve fazê-lo com parcimônia e zelo, pois é sábio não escandalizar, isto é, não tornar-se ridículo, por conta de eventual incompreensão de quem o escuta, decorrente dos diferentes momentos de evolução em que se encontra quem fala e quem ouve. Não há maior ou menor. Ninguém é melhor ou pior que o outro, apenas vivemos momentos diversos, etapas diferentes do processo evolutivo da própria humanidade. "Só quando me despojo de toda hipocrisia descubro o meu verdadeiro eu. Cada vez que acuso mundo por minhas angústias mais me distancio da verdade que liberta". Como diz o filósofo da loucura, somos apenas 'humanos, demasiadamente humanos'. Por isso, a cada dia compreendo melhor a expressão 'renascer'; como a imperativa necessidade de evoluir, ampliar horizonte, transcender. "Renascer, é deixar para trás tudo aquilo que já não faz parte de nossa vida. Não somos nós que morremos nesses momentos, são os paradigmas"... sussurra mais uma vez o  mentor virtual.

Ao conceituar 'o poeta' como um 'tolo', o meu amigo, sem perceber, me provocou um interessante questionamento, sobre o que viria a ser normal. O que torna um ser humano 'superior' aos demais? Sua camuflagem para enganar?... Sua competência para manipulação?... Sua habilidade para ganhar dinheiro?... Seu poder de destruição?... Sua insaciabilidade pelo ter?... Sua prepotente vaidade? Afinal, seriam esses os valores que trazem a verdadeira felicidade? Estaria o ser humano completo em si mesmo ao atingir os píncaros do sucesso e do poder? Seria isso a realização pessoal? Ou tudo não resulta da nossa atitude frente ao medo e insegurança em relação a um amanhã que não sabemos se presenciaremos? Boa parte daqueles que conquistaram o sucesso pelo sucesso tornaram-se infelizes; Alguns precisaram se drogar até à morte por não saber lidar com ele. Outros mergulharam em profunda depressão por remorso do que fizeram ou por se darem conta de que desperdiçaram seu bem mais precioso, o tempo, com futilidades. Só uns poucos percebem que o sucesso e a prosperidade nada tem a ver com a ganância; e que 'estar bem' é a plenitude do ser, livre do estresse, fruto da dependência que escraviza. Citando mais uma vez meu inquieto mentor: "Quando eu aprender que nada sei... e entender o quão pequeno sou, estarei pronto para voar sobre mares turbulentos ou desertas planícies. Só então irei descobrir que todos as minhas inquietudes não passam de quimeras, efêmeras como o vento que me conduz". ('O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP).

Ao longo de minha existência, cometi muitos enganos, enquanto me sentia um 'esperto'. Precisei apanhar da vida como cão vagabundo, à procura de mim mesmo, para descobrir que a vida está nas coisas simples; e foi nesse caminhar que transformei em meus mentores muitos daqueles considerados 'tolos' em seu próprio tempo; 'Poetas' e 'sonhadores' como Sócrates, Mozart, Van Gogh, Jesus Cristo, Nietzsche, Cervantes, Ghandi, Maomé, Joseph Campbell,  Richard Bach, ou Martin Luther King, entre tantos outros, que me ensinaram o que é dar significado à vida. Seres humanos maravilhosos que influenciaram sobremaneira minha forma de ver o mundo e deixaram marcas profundas na essência do que sou. Não me sinto melhor ou pior que ninguém em nada. Não me sinto maior ou menor. Não me sinto normal ou anormal. Sou apenas um aprendiz; buscando ter sintonia consigo mesmo, por saber que ela irá produzir a paz que a alma reclama. Isso me basta e me realiza. Mais que tudo, percebo que a cada dia o universo está a conspirar muito mais a meu favor, à medida que me envolvo com o todo à minha volta e com ele estabeleço essa insuperável sintonia.

Nos dias atuais, considero impensável que seja possível dirigir qualquer organização, seja ela grande ou pequena, sem que se compreenda a noção exata do que representa a dimensão do potencial humano. Ele deve ser a prioridade máxima em qualquer empreendimento; a força que transforma sonhos e idéias em algo concreto, e a base de sustentação de qualquer marca. Ignorar essa premissa pode ser uma fatal ingenuidade. Por isso, em todas as minha ações como conselheiro ou consultor, busco antes de tudo analisar a forma como o empresário lida com sua gente, o valor que dá para a sinergia criada por sua equipe e a maneira como recompensa cada um pela participação no resultado das conquistas diárias. Quando percebo grandiosidade em sua postura, vislumbro de imediato enormes possibilidades de crescimento e sucesso e me sinto extremamente motivado a participar da empreitada com idéias e recomendações que invariavelmente necessitam contar com a adesão de um  time.

Ao ver desafios como oportunidades de crescimento e evolução pessoal, descobrimos que a energia que nos move, tal qual uma poesia, viaja carregada de força em cada palavra, a transportar a emoção que produz coragem, ousadia e determinação. Sem isso, não teremos um time, envolvido, motivado, e comprometido. Haverá apenas uma legião de zumbis, lutando pela sobrevivência, à mercê de vampiros cujo meta consiste unicamente em sugar suas vítimas até sua exaustão. O empresário ou empreendedor que enceta suas ações consciente de que como líder terá um bravo exército à sua volta, jamais conhecerá as agruras de lidar com mercenários, que aparentam comprometimento coletivo, mas na verdade estão, tão somente, cuidando de seus interesses pessoais, aplicando a máxima que diz: 'você faz de conta que fala a verdade, e eu faço de conta que acredito...você faz de conta que me lidera, e eu faço de conta que te sigo'; um pensamento que revela a pior de todas as hipocrisias corporativas; razão de muitas falácias por trás de todo desmazelo que assola o mundo empresarial da atualidade, levando de roldão grandes empresas, e fazendo ruir nações inteiras.

Por tudo isso, agradeço ao amigo mantido no anonimato desta matéria, que como 'serpente' traduzindo sabedoria, me fez ver que ser 'poeta' não é algo desmerecedor ou ultrajante; pelo contrário, a poesia, contida numa canção; numa tela, ou por trás de um texto que reflete um aconselhamento ou uma recomendação estratégica, é a forma divina e grandiosa de enxergar na complementaridade, a ponte que une partes de um todo, capaz de produzir algo maior, como uma família, uma equipe, um grande produto, uma empresa ou uma marca. A poesia é a percepção do mundo por um viés de beleza onde a emoção torna-se a parte visível da inefável energia, o elo invisível, que gera extraordinárias transformações a partir do nada. Feliz do empreendedor que faz do seu empreendimento um autêntico poema, ainda que marcado pelas cores fortes de épicas e solitárias batalhas. Ao final, parodiando seu ilustre colega Fernando Pessoa,  o poeta dirá que valeu a pena, porque a alma não foi pequena.

"O tamanho da nossa força resulta da capacidade que tenhamos de construir sinergia com outros. Para ver sua marca crescer, é preciso abrir mão da vaidade, da intransigência e do orgulho. A gota se transforma no próprio oceano quando nele se integra". (O Mentor Virtual)

_______________________________


 *Mauricio A Costa, é Estrategista. Sócio Fundador da SUPPORT BRANDS, empresa de projetos e assessoria para alavancagem de receitas e rentabilidade. Sua experiência internacional está focada em assuntos ligados ao pensamento estratégico voltado à inovação, criação de valor agregado, e fortalecimento de marcas - comercial ou corporativa. Está disponível, sob consulta, para atuar como Executivo, Estrategista, ou Membro do Conselho de Empresas de qualquer porte. 

É o idealizador do Projeto Mentor Virtual, organização comprometida com o despertar da consciência humana, a valorização da vida e o apoio à construção da marca pessoal. Suas palestras, seminários e workshop - presenciais, 'in-company', ou por vídeo conferência - estão disponíveis, sob consulta, para associações, universidades, escolas, ou empresas em qualquer região ou país. 



12 comentários:

  1. obrigada Maurício!!!estou compartilhando !!!Linda,linda mensagem de otimismo!!!yaradarin

    ResponderExcluir
  2. Ser poeta do próprio viver é dom de poucos. O poeta expressa a poesia nas experiências que a vida traz, tenho pena daqueles que não entendem uma alma poeta ... ser poeta é ter o coração carregado de sensibilidade, de amor, de partilha, é enamorar-se do brilho de uma estrela, dançar ao luar, inundar-se num raio de sol inebriar-se com as cores e perfumes das flores, o vôo dos pássaros.
    É alcançar a linha do céu azul
    Ser poeta é traçar o amor, o encanto, a alegria de emocionar e deslumbrar todos os dias do viver.
    Sou poeta, amo "poetar" e amo cada alma poeta que encontro no meu caminhar.
    Abraços meu querido amigo, siga poetando

    ResponderExcluir
  3. Sou uma simples dona de casa...mas sei viajar lendo um livro e sei sonhar lendo uma poesia. Acho que tudo na nossa vida tem espaço, tanto para os poetas como para os que escrevem...Acho que é questão de se "achar a pessoa certa" para o gostar...Lindo esse seu texto!
    Um abraço menino. DEUS te abençoe!

    ResponderExcluir
  4. MAURÍCIO
    Que linda reflexão você fez, meu amigo.
    Conseguiu transformar "Lixo" em diamante,puro, precioso...cujo brilho vai refletir em muitas e muitas pessoas.Você não necessitou deste "anonimato" solicitado, porque ele só serve para esconder, pobreza de espirito, de quem se expressa, sabendo que está fazendo "mal".
    Você, não levou baixos sentimentos em consideração, tais como a inveja, por exemplo, que faz com que os poetas,sejam alvo de criticas. Mas vou te levar a mais um questionamento, sobre:
    -Como dar importância a uma opinião, quando mais de 5000 pessoas, só no Facebook,sem contar os inúmeros leitores, usufruem deste poeta e suas idéias?
    Acho que você está certo...veem para reflexão. Mas aí, expõem seu lado "humano" e de pessoa maravilhosa, que não tem vaidade e que com muita
    sensatez e até humildade, faz uma revisão em seus conceitos e maneiras de agir.
    Sou sua fã rs rs rs hoje mais do que ontem.
    Parabéns!!! Abraço afetuoso.
    Juçara Morça

    ResponderExcluir
  5. Maurício : outro dia postei um pensamento cujo autor, desconheço. Mas ao ler a sua mensagem, ele me veio à cabeça : * As pessoas o amarão pelo que você é. Outras, o odiarão pelo mesmo motivo. Acostume-se !!!!* Bjs. Anna Maria

    ResponderExcluir
  6. Mauricio, esse texto tocou-me de forma muito especial. Me revi em suas palavras, por já ter também sentido o peso do olhar crítico e irônico de quem não consegue se abstrair dessa cruel selva de pedras em que vivemos.
    Mas pense que somos em muitos e o destino se encarrega de reunir os semelhantes.
    Tem uma citação de Nietzsche que acredito ser perfeita para concluir essa reflexão:
    " E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música."
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Mauricio, sua intimidade com as palavras, um tanto poético-filosófica, é admirável! Seu conhecimento profundo sobre diversos temas e sua capacidade em nos oferecê-los em conta-gotas da sabedoria. Admiro muito sua escrita, é sempre algo que soma, enobrece e que também embriaga nosso espírito.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Há tanta energia em tuas palavras, neste artigo... Mauricio...

    Que é, pura poesia a nos tocar a alma!
    Que é, feito cor cheia de luz a nos inundar os olhos, com amor!
    Que é, todo coração de um 'ser humano', que faz das palavras uma lição de VIVER! Viver, em paz consigo mesmo!

    Há uma 'luz' no olhar de cada ser... Basta 'ser', para compreender!

    Abçs. carinhosos... adorável 'ser' - poeta!

    ResponderExcluir
  9. Maurício, falando da essência do Ser e das nossas verdades e máscaras, essa sua postagem foi a que mais me identifiquei, refere a docilidade dO Senhor de todos os sábios, Jesus Cristo, o qual alerta: sedes mansos como uma pomba e alertos como serpente, pois nesse mundo se tivermos uma só percepção, corremos muitos riscos...
    Outro dia, eu fiz uma poesia,e meu cunhado disso: voce sabia que pessoas melancólicas que escrevem poesias? eu respondi: não sei se são melancólicas, mas são pessoas que encontram nas palavras uma forma de expressar a dor (raramente alegria) do momento.
    Maravilhosa sua postagem, esta de parabéns !
    abraço,

    Simone.

    ResponderExcluir
  10. Aconteceu algo semelhante comigo. Agora, recentemente, havia acabado de aceitar um convite de amizade de uma pessoa que já é meu amigo... ele viu meu mural e disse que aquilo era auto-ajuda, que eu deveria ler coisas melhores... eu disse a ele, não é auto-ajuda, trata-se de construção de uma marca forte... e ele sempre me criticando... nem me importei... agora, percebi que ele me excluiu de suas lista de contatos... e pensei que interessante, ele não me acha a altura da sua sabedoria... e o que estou lendo, para ele, é tão banal, tão insípito... mas, ele não sabe que para você construir todo esse trabalho, você lê a mesma literatura clássica que ele lê e que eu também leio... mas você transforma em uma forma acessível a todos, como um caminho, uma orientação, de forma didática e clara... facilitando, de fato, a construção de uma marca forte... Parabéns, Maurício, pelo seu trabalho... mas você não precisa de reconhecimentos ou de aplausos, porque está acima do ego... Grata sempre por suas palavras e sua amizade...

    ResponderExcluir
  11. ... tanta energia, Amarilis,Maurício, meus Amigos, tanta que enquanto lia deixei que minha alma se lavasse... As lágrimas rolaram de emoção, não de tristeza. Uma emoção e alegria que nos faz bem. Suas PALAVRAS , Maurício. têm esse condão e entro nelas, tal como entro nas minhas telas com suas cores.Não mude...o apoio que dá a tantas e tantas pessoas que por aqui passam é de certeza o incentivo para se manter firme. "De poeta e louco todos temos um pouco" , mas há POETAS que tocam as almas e dá vontade de ouvir e sentir perto sua companhia!E quem disse a esse senhor, que ser POETA é utopia? Pena ele estar a perder a oportunidade da VIDA de aprender e se renovar...vai aprender um dia, por certo! Bem haja, Maurício, por ter esse ânimo e a coragem de falar e escrever de modo a que todos possamos aprender, lembrar, trilhar o melhor CAMINHO! Abraço imenso de FORÇA e CARINHO!

    ResponderExcluir
  12. Lembro que a tv Globo mostoru ha mais de 20 anos atras uma novela onde a atriz Nivea Maria era uma dona de casa casada com o ator Claudio Calvacanti que represntava um poeta sonhador como ela o chamava.A esposa estava sempre brigando com ele porque nao fazia dinheiro com os livros de poesia.Vivia dando conselhos pra ele arranjar um emprego,parar de escrever poemas,bla,bla,bla.Mas ele dizia que era sua vocacao e que era feliz daquele jeito,mesmo sem dinheiro suficiente pra pagar as despesas da familia.Pois bem,no seu caso Mauricio vc ja foi um empresario bem sucedido,fez seu futuro financeiro nao com poesia,mas vc sempre teve o sonho de escrever como vc ja disse antes.Adoro ler,adoro poesias,romance,ficcao.E acho que escrever poemas e um dom que so pessoas sensiveis conseguem passar para o papel o que vem do fundo da alma.Eu mesmo sendo sensivel nao conseguiria escrever um poema,pois tenho dificuldade para me expressar,portanto e necessario o dom.Nessa selva de pedras como dizem,escrever poemas nao faz ninguem ganhar dinheiro suficiente para morar numa mansao e ter um iate.Por isso as pessoas de nivel social mais elevado e que tem boas condicoes financeiras nao valorizam uma vez que so olham por uma janela.Ou seja,pela janela dos amigos uqe estao no mesmo barco.Essa e a realidade e te garanto que eles nunca mudarao.Por tanto siga seu proprio conselho:nada nessa vida merece um minuto da sua alegria de fazer o q vc gosta.Obrigado pelos seus posts.

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar aqui as marcas de sua passagem...
Seus comentários serão sempre bem vindos.