Translate The Blog - Click Here / Traduza o Blog - Clique Aqui

sábado, 11 de junho de 2011

Simplicidade. O Segredo de Marcas Fortes





Por Maurício A Costa*


"A cada dia escrevemos um pouco da nossa história... Cada dia uma nova página. E assim, a magia da vida vai surgindo pela janela que se abre ao desconhecido a produzir inesquecíveis emoções de uma incrível viagem repleta de encantamento". (Mauricio A Costa, em 'O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP - Em Gestação).
______________________________________

Estávamos em uma viagem de férias pelo Caribe quando nos conhecemos. Ela, uma celebridade, acostumada ao sucesso e ao aplauso, tinha tudo para ser a criatura mais feliz do planeta, mas estava infeliz; com a vida, consigo mesma e com o resto do mundo. Parecia distante, muito distante daquelas mesmas pessoas que faziam dela uma pop-star. Um tanto alienada, afogava sua infelicidade na bebida e nas drogas, e em alguns momentos vagava como um zumbi, perdido entre dois universos distintos: o da realização pessoal, e outro, onde procurava desesperadamente um sentido mais amplo para sua vida, ignorando suas próprias conquistas pessoais.

Vê-la entregue ao abandono de si mesma, sem dar-se conta da esplendorosa beleza que a cercava, produzia em mim um misto de compaixão e estupefação, além de uma enorme sensação de impotência diante de um ser humano que se entrega ao imobilismo doentio da insatisfação permanente, ainda que consciente de que tem tudo ao seu dispor. Observar sua apatia e prostração me causava um estranho desejo de poder mergulhar naquela mente para entender seus tortuosos caminhos, mas aquele escuro labirinto à minha frente era inacessível e acima de tudo, excessivamente perigoso. Restava apenas acompanhar à distância e refletir sobre a extensão das complexas demandas por realização ou prazer que carregamos na alma, sufocada por instintos de toda natureza.

Segundo os racionalistas, 'a verdade habita a consciência', e a representação é a sua morada. Por conta disso, 'viajamos' por universos desconhecidos em busca de respostas que possam dar legitimidade àquilo que construímos como nossas verdades, e nossos mergulhos para dentro de nós mesmos não passam de um obcecado fascínio pelo que ainda não conhecemos na imensidão do nosso inconsciente. Tentando nos entender além da subjetividade aparente, ultrapassamos nossos próprios limites e repentinamente somos impelidos por irresistível força gravitacional em direção ao vazio absoluto, sem noção de consequências. Nessa viagem às nossas profundezas, perdemos algumas vezes a relação entre o imaginário e o simbólico de nossas percepções e passamos a criar realidades paralelas, sensivelmente estranhas para aqueles que nos cercam. A linguagem seria a única forma de alinhamento entre esses distintos mundos, entretanto, nesses momentos cruciais de questionamento existencial, nos trancamos em nossos próprios casulos e o isolamento bloqueia a fala e todas as possibilidades de nos comunicarmos com o mundo à nossa volta.

Há sem dúvida, nessas circunstâncias, um forte componente de narcisismo a permear nossas atos, decorrente de um sentimento de auto suficiência, ou em outros casos, pena de nós mesmos; e o resultado é um egoísmo exacerbado, muitas vezes inconsciente, cuja consequência maior é nos deixar à deriva, sem qualquer controle sobre nossas atitudes, pensamentos ou palavras. Apenas um vagar inócuo e sem sentido. Nada, além de visões psicodélicas, fruto do efeito alucinógeno de nossas incompreensíveis angústias e desmedida insatisfação. Segundo Freud, (Sigismund Freud, 1856-1939), o pai da psicanálise, 'o que caracteriza o desejo, é o impulso para produzir alucinatoriamente uma satisfação original, isto é, um retorno a algo que já não é mais, a um objeto perdido cuja presença é marcada pela falta'. (Garcia-Rosa, Luiz Alfredo - Freud e o Inconsciente - Pág. 145 - Editora Zahar - Rio de Janeiro - 2009). Assim, a insatisfação crônica, pode ser vista também, como frustração do desejo reprimido, em decorrência da ausência de algo ou da 'nostalgia do objeto perdido'.


Ao refletir sobre aqueles momentos vividos em tão paradisíacas paisagens do Caribe, eu me dou conta da multidão de seres humanos que vagueiam como sonâmbulos em busca de complexas respostas para seus questionamentos, sem dar-se conta de que a felicidade está na simplicidade de todas as coisas, e que o estar bem resulta de um sentimento de integração permanente com o todo à sua volta. Quase sempre, o comportamento insaciável traduz uma mente insegura, desconectada de sua própria realidade, e como tal, será fonte permanente de infelicidade. A saída, ao meu ver, pode estar em sentir-se parte de algo maior, desprovido de grandes preocupações, ou na linguagem do poeta, com a certeza de que 'o acaso irá proteger'. Uma postura que revela autoconfiança. 

Em cada elemento do universo que nos rodeia, há uma mensagem de amor, traduzida pela energia natural que ele emana, percebida por todos os nossos sentidos, a nos transmitir que a realidade é um reciclar eterno sem antes nem depois, sem culpas ou ansiedades, e acima de tudo, sem ausências ou perdas, porque tudo é apenas um agora irreversível; uma paz perene a nos envolver no fluxo constante de tudo que representa a própria vida. Por isso, penso que, 'viajar' embalado por alucinógenos não passa de lamentável desperdício de um tempo precioso que não voltará jamais. Não há respostas além daquilo que sentimos; tudo mais é apenas uma tremenda ilusão criada pela mente aflita por justificar verdades parciais que não consegue juntar por conta de sua intrínseca limitação. A verdade absoluta é inexpugnável, e apenas pode ser percebida pela alma, que a detecta, e com ela se identifica, por saber que é disso que se alimenta e disso que é formada. "Não há nada de sobrenatural, fantasmagórico ou mágico no mundo à sua volta; tudo é apenas o prodígio da própria vida, se revelando a cada minuto, numa seqüência espetacular, em todas as direções para onde você voltar seus olhos". (O Mentor Virtual - Pág. 77 - Ed. Komedi - Campinas-SP 2008).

A beleza e a força de uma Marca, seja ela Empresarial ou Pessoal, está em sua simplicidade. Sua diferenciação reflete características particulares, pois cada coisa, por mais insignificante que possa parecer, carrega seu próprio significado, e a beleza consiste exatamente nisso. É na sua singularidade que reside o poder de atração, e nada mais forte para uma marca que ser vista como algo único. Inesquecível. 

___________________________


*Mauricio A Costa, é Estrategista. Sócio Fundador da SUPPORT BRANDS, empresa de projetos e assessoria para alavancagem de receitas e rentabilidade. Sua experiência internacional está focada em assuntos ligados ao pensamento estratégico voltado à inovação, criação de valor agregado, e fortalecimento de marcas - comercial ou corporativa. Está disponível, sob consulta, para atuar como Membro do Conselho de Empresas de qualquer porte. 

É o idealizador do Projeto Mentor Virtual, organização comprometida com o despertar da consciência humana, a valorização da vida e o apoio à construção da marca pessoal. Suas palestras, seminários e workshop - presenciais, 'in-company', ou por vídeo conferência - estão disponíveis, sob consulta, para associações, universidades, escolas, ou empresas em qualquer região ou país. 

15 comentários:

  1. Ira Pastorjunho 11, 2011

    Meu querido amigo..... sabes que é o alicerce para minhas inspirações, rsrrsrs adoro vc meu gurú virtual, compartilharei seus ensinamentos com os demais enquanto tiver forças e com certeza isto levará muito tempo porque vc é minha força......
    Abraços com "Marcas Fortes"

    ResponderExcluir
  2. Maurício, você simplesmente se superou nesta publicação. Ao meu ver, sua mais importante e significativa obra para a descoberta de nós mesmos. Na verdade, as respostas de que um ser humano precisa para suas dúvidas, anseios e insatisfações pessoais, ele poderá encontrar, não na complexidade do mundo que o cerca e sim, na SIMPLICIDADE de sua existência. Tudo está tão próximo de nós que não percebemos que a cura para nossas angústias e insatisfações se resume em tão pouco. Um trecho do texto chamou-me a atenção: "...a insatisfação crônica, pode ser vista também, como frustração do desejo reprimido, em decorrência da ausência de algo ou da 'nostalgia do objeto perdido..." Neste instante, vi-me inserida no contexto desta máxima. Porém a solução para esse vazio estava muito próxima a mim e não percebia, tamanho meu isolamento diante do mundo que me cercava e até de mim mesma, o que, indubitavelmente, bloqueou-me a capacidade de racionalizar os caminhos que me levariam à saída desse túnel escuro. Foi quando alguém me mostrou que a felicidade estava nas coisas mais simples da vida. Para tanto, bastaria olhar à minha volta e ver cada detalhe da vida: o sol, a beleza das flores, a magia da natureza, enfim, a cada manifestação das forças do universo. Transcrevo aqui as sábias palavras do meu Mentor e que devem nortear sempre nossos pensamentos: "...Em cada elemento do universo que nos rodeia, há uma mensagem de amor, traduzida pela energia natural que ele emana, percebida por todos os nossos sentidos, a nos transmitir que a realidade é um reciclar eterno sem antes nem depois, sem culpas ou ansiedades, e acima de tudo, sem ausências ou perdas, porque tudo é apenas um agora irreversível; uma paz perene a nos envolver no fluxo constante de tudo que representa a própria vida..." Se analisarmos cada manifestação Divina, encontraremos a força de que necessitamos em todos os obstáculos que enfrentamos, quando nos sentirmos insatisfeitos, embora plenamente realizados...Tudo está à nossa volta. Basta olharmos para os detalhes mais simples, de um desabrochar de uma flor até a complexidade das manifestações cósmicas....em cada manifestação do universo há uma mensagem de amor implícita, a direcionar nossas vidas. Para tanto, necessário que nossa alma se alimente das riquezas existentes na singularidade de cada detalhe que nos revela o universo. Eu apostei nessa verdade e encontrei o meu verdadeiro caminho. Obrigada, Maurício por esse rico ensinmento. Suas palavras de estímulo me ajudaram a vislumbrar um horizonte até então desconhecido e hoje, alcançado. Um beijo carinhoso e de muita gratidão. Mary Freitas.

    ResponderExcluir
  3. Suas palavras me fazem lembrar de um pensamento que tenho, e que é parte de uma visão que tenho observando algumas pessoas especiais e seus cuidadores, principalmente, as mães - pessoas especiais, muitas vezes não tem a liberdade de realizarem o movimento físico que gostariam de realizar, de andarem sozinhas até uma panificadora e comprarem um pão, de tomarem banho sozinhas, de acordar e de levantarem-se sozinhas de seu leito, de falar, de ouvir, de sentir, de ver... e estas pessoas estão sempre dispostas, com brilho no olhar, enfrentando e vencendo desafios diários...e nós, ditos normais, muitas vezes nem percebemos o milagre de fazermos naturalmente isso todos os dias, a todo momento... e sempre buscamos mais, mais e mais sempre insaciados e infelizes... A partir do momento que percebemos as maravilhas à nossa volta e do que somos capazes de fazer, na sua simplicidade do dia a dia, neste momento seremos felizes e completos... e saberemos agradecer e ajudar... Maurício, suas palavras são abrangentes e é abençoado por distribuir sabedorias às pessoas... Muito Grata...

    ResponderExcluir
  4. A respeito da matéria do blog: Percebi que geralmente as pessoas que se entregam ou se escondem atrás de subterfúgios momentâneos , materiais ou alucinógenos, são pessoas de espírito sensível , quase sempre incapazes de enfrentamentos, desafios e dos desprazeres que a vida lhes apresenta. Desprovidos também de força suficiente para se preservarem da ação da vida sobre seus espíritos frágeis e motivações que os impulsionem. A fuga da realidade é o meio mais rápido e mais fácil de se esconder do " inimigo ". Importante se faz um frequente e contínuo mergulho dentro de si mesmo em busca do que se está perdido, do que está enfraquecido, das perguntas sem respostas, do que se tem medo e das motivações que trarão a tona o que se perdeu em algum momento da vida.

    ResponderExcluir
  5. A simplicidade na singularidade de cada um...nisto reside toda a nossa potencialidade para sermos felizes. Parabéns , Maurício. Um tema tão rico , tão tremendamente bem explanado por ti. bjo

    ResponderExcluir
  6. para o indivíduo possuir essa simplicidade, é porque és pleno!
    Parece tão simples e lógica essa minha afirmação, pois é muito triste, mas afirmo que muitos entram e saem deste mundo, sem essa plenitude,a qual é amar - se muito, desejar - se muito, querer - se muito, respeitar - se muito...

    ResponderExcluir
  7. Yara Helenajunho 12, 2011

    Mauricio, como sempre adoro tudo que escreve, você não imagina com tenho aprendido com suas experiências.
    Meus caminhos tem tomado novos rumos depois que te conheci....
    Beijo grande....Te ADOROOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!

    ResponderExcluir
  8. mirian scarduajunho 13, 2011

    Mauriccio, eu creio que todos temos um mentor virtual, o negócio é termos a sua sensibilidade para percebermos. Eu ainda, não alcancei o seu nível de percepção. Muito me alegra poder alimentar a minha alma, daquilo que vem da sua alma...Feliz em te conhecer. bjus

    ResponderExcluir
  9. A beleza e a forca de uma marca esta na simplicidade.No caso de uma marca pessoal,vc comecou o texto comentando sobre a senhora famosa que apesar da fama e do dinheiro,viva fora da realidade,se refugiando no alcool.O que se ganha por um lado se perde no outro.Muitos e muitos ricos e famosos enfrentam esse problema,e ja ouvi muitos relatos sobre a perda da propria identidade,uma vez que vc pertence ao publico,vc perde a liberdade de ser vc mesmo.Vive em funca do publico para conservar a imagem criada para o mesmo.Quanto ao dinheiro que ganham e tanto que chega a um ponto em que podem comprar o mundo,entao nao tem mais aquele lutar pelo que quer,se esforcar por algo,se ja tem tudo e nao precisa mais,cai no vazio,e se sentem sozinhos uma vez que sabem que os amigos estao la ao redor pelo dinheiro e fama,uma vez que perca este,todos desaparecerao.O que resta?A dependencia de todo tipo de drogas.Como disse,nao sao todos,mas muitos deles,e se tem um espirito formado e equilibrado,onde possa se refugiar nos momentos de solidao e souber valorizar o espiritual mais do que o material,ai sim,nao tera necessidade de droga nenhuma.E dificil lidar com a perda da liberdade e de si proprio muitas vezes,mas tendo uma boa formacao espiritual acho que ajuda bastante a manter o equilibrio.Quando digo espiritual,quero dizer justamente o que vc menciounou,ter a capacidade de ver beleza nas coisas mais simples.Aquelas que nao precisa de dinheiro nenhum para comprar.

    ResponderExcluir
  10. Boa noite Mauricio consegui vir ao site e contemplar mais uma grande reflexão que certamente norteia a todos nós.

    Um carinho abraço

    Eliana Winckler

    ResponderExcluir
  11. Meu querido Maurício.
    Perdoa-me a demora, mas é que ando a correr atras do tempo que voa apressado!
    ...O que falar desse maravilhoso texto que voce nos oferece...Como sempre, prazer garantido!
    As letras margeiam um mar de indagações, reflexões e nos garantem que a resposta flutua leve sobre as águas... Seu texto também, nos doa uma nova lente, e através dela, percebemos a vida de maneira mais otimista e simples... Mas sabemos que se tratando de encontrar prazer a corrida torna-se em desafio e o que as vezes se mostra fácil demais, perde o "glamour"... Então é no fundo que vamos buscar o prazer... É lá onde muitos mergulham e se afogam... Queremos sempre comer do doce mais alto da estante... É no pico das montanhas que se finca a bandeira... E valerá tamanho sacrificio! Bem, chegamos ao poder do dito: A conquista é tudo e o resto, nada!... Chegar ao limite é maravilhoso, mas ultrapassá-lo é perigoso. É assim que nos perdemos de nós e nos distanciamos de tudo e todos... Voltaremos ao mar... Morreremos na areia para enfim descobrir que estava ali, as margens seguras o segredo de viver!
    Amei demais!

    UM grande abraço dessa amiga e fã.

    Marisa Rosa Cabral.

    ResponderExcluir
  12. Outra vez lendo teus artigos penso que esta escrevendo minha biografia... Você deve estar agora com aquele sorrisinho maroto nos lábios, eu bem sei.... rsrrs
    Sim, esta escrevendo a minha biografia e de muitos outros que se identificam com teus artigos.

    Já fiz esta 'viagem'!
    Por muito tempo culpei o mundo por meus erros, minhas angústias, minhas incertezas. Pelos labiríntos sombrios, que eu mesma construí com a energia de muita revolta, mágoa e culpa.
    Não percebia que a minha volta, enquanto me debatia, em meio as 'ervas daninhas' do meu jardim, o universo, me enviava sinais.
    Eu praguejava contra as ervas daninhas doentias da minha mente, e não percebia que sob elas ainda havia... relva! Não percebia, que ainda haviam... flores! Que, ainda haviam... árvores! Que davam frutos e sombra! Não percebia, que o Sol nascia todas as manhãs!!! Que a chuva, vinha regar as plantas do meu jardim...!!!! Não percebia... Que, é nas coisas simples que encontramos as respostas para tudo que dá sentido à VIDA... É só olhar a nossa volta!

    Eis, então que um 'anjo' surgiu em minha vida e me apresentou "O MENTOR VIRTUAL".....

    "A voz do coração é o eco da voz do que convencionamos chamar de Deus."
    (Cap. VIII - pag.128)

    "Quando você decide dar mais atenção ao universo à sua volta, percebe então como todas as coisas são simples."
    (Cap. VIII - pag. 128)

    Então, parei de lamentar, praguejar, culpar o mundo pela minhas atitudes, e, acima de tudo, dexei de sentir pena de mim mesma. - Estou limpando o meu jardim. O trabalho é árduo; mas, já tenho uma clareira. Quando o cansaço me toma durante o dia, a noite, posso contemplar as estrelas!!!

    "A maior de todas as batalhas para concretizar seus sonhos será os inimigos que você carrega dentro de si mesmo. Identifique-os e saberá como lidar com eles. Ignore-os e será um escravo para sempre." (Cap. VIII - pag.134)

    Abçs. carinhosos, Adorável Mentor!
    Amarílis Adélio

    ResponderExcluir
  13. SUCESSO SEMPRE! ABRAÇO...
    http://josecarlospaivabruno.wordpress.com/2010/11/06/conquistas/

    ResponderExcluir
  14. Marilene Grableragosto 03, 2011

    Caro Maurício.Você diz tudo aquilo que gostaríamos de falar e as palavras morrem antes de pronunciadas.
    Gostei muito, principalmente quando fala da simplicidade.Essa é a janela real que nos conduz à felicidade.
    Abraços, mentor.

    ResponderExcluir
  15. Mauricio, relendo o 'artigo' e o meu 'comentário' feito a mais de dois anos...

    "Então, parei de lamentar, praguejar, culpar o mundo pela minhas atitudes, e, acima de tudo, deixei de sentir pena de mim mesma. - Estou limpando o meu jardim. O trabalho é árduo; mas, já tenho uma clareira. Quando o cansaço me toma durante o dia, a noite, posso contemplar as estrelas!!!"

    Passado esse tempo todo, só se concretiza a minha certeza de quanto O MENTOR VIRTUAL acrescentou em minha vida. Sussurra-me nesse momento aos meus ouvidos o amigo MENTOR:

    "Só uma mente aberta, disposta a romper paradigmas, é capaz de identificar oportunidades por trás do inusitado."

    Obrigada Mentor, por "estar sempre por perto..."
    Abçs. carinhosos.

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar aqui as marcas de sua passagem...
Seus comentários serão sempre bem vindos.