Translate The Blog - Click Here / Traduza o Blog - Clique Aqui

sábado, 1 de janeiro de 2011

O Desafio da Construção de Uma Marca


Por Maurício A Costa*


"Metade deuses, metade animais. Enlevos de sabedoria, alternados com impulsos de instintos. Metade amor, outra metade danação, vagamos perdidos entre dois estranhos mundos sem noção de tempo. Nessa incrível viagem, nosso maior desafio é estar atento a cada mínima decisão, porque o diabo está nos detalhes". (Mauricio A Costa, em 'O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP).
___________________________________


Estamos iniciando mais um ano, de um século que será marcado pela velocidade das transformações. Podemos viajar hoje não apenas fisicamente, mas, nos teletransportamos para qualquer lugar do planeta ou do universo, transferindo nossa imagem e voz através do espaço em frações de segundos. Não existem mais restrições para que possamos estar simultaneamente em diversos locais ao mesmo tempo. Tornamos-nos literalmente virtuais e muitos ainda não se deram conta disso, continuando suas viagens numa dimensão superada, marcada por apego ou dependência a paradigmas de toda ordem.

Nos dias atuais se vende e se compra qualquer coisa, de um livro a um avião, em qualquer parte do mundo, por meio de um simples clicar em computador ou telefone. Transferem-se milhões de dólares em segundos para qualquer lugar do planeta sem que o dinheiro saia fisicamente do lugar. Realizam-se reuniões internacionais através de teleconferências sem que os participantes necessitem sair de seus respectivos países, ou mesmo de seus escritórios. É possível assistir-se confortavelmente em casa qualquer evento esportivo, artístico ou político, na mais remota área da terra no exato momento em que acontecem. Apesar disso tudo, ainda há quem continue apegado a dogmas tribais, pensamentos retrógrados, e atitudes mesquinhas, submetendo-se à escravidão pela ignorância, alheamento ou burra vaidade. Paralelamente, aqueles que dominam algum tipo de avançada tecnologia ou constroem ligações escusas, vivem como se habitassem em feudos. Agem como se não houvesse vida fora do seu habitat; e numa globalização desenfreada, vão construindo conexões de toda ordem, a criar robôs humanos, alimentados por um sistema que prevê todos os seus movimentos, com base em poderosos bancos de dados.

Assistimos assombrados o crescimento de blocos de dominação, de caráter econômico, político ou religioso, a formar de um lado um grupo de disfarçados manipuladores, e do outro, uma enorme massa cinzenta e amorfa de desesperados sem muitas alternativas, que manipulados pelo poder submetem-se aos mais esdrúxulos comandos, muitas vezes subliminares, da propaganda enganosa que constrói atrativas marcas de produtos e empresas ou fulgurantes marcas pessoais, cujo propósito é unicamente o de gerar magníficas fachadas que impressionam e criam irresistível massa crítica a engolir o que vier pela frente. Tudo se torna comprável. Tudo é passível de venda. Princípios, direitos, sentenças, mercados, autoridades, ou instituições. Vende-se a alma por um punhado de moedas que se transformam em fazendas, barcos ou aviões, ou permanecem escondidas em paraísos fiscais isentas de tributos ou fiscalização.

Enquanto isso, o pequeno empreendedor, mistura de sonhador e guerreiro, transformado em órgão arrecadador do estado, por conta da substituição tributária, ou esmagado por impagáveis tributos em escala, vê seu projeto minguar se não aceitar entrar no conluio generalizado, capitaneado por modernas gangs de pseudos lobistas, a fazer um ‘meio de campo’ entre o inferno do estrangulamento financeiro e a inesgotável fonte de recursos governamentais disponível para um seleto grupo que aceite o jogo. Como se não bastasse, a concorrência é predatória, de grandes multinacionais, algumas delas financiadas por organizações especializadas na lavagem do dinheiro oriundo do narcotráfico internacional, ou de produtos importados a preços fictícios ou contrabandeados abertamente sob proteção de poderosas gangs locais amparadas por políticos de grande poder de influência com a retaguarda de juízes e policiais corrompidos

É contra essa hidra de várias cabeças, citada pelo Apocalipse que seres humanos por trás de cada empreendimento se defrontam diariamente. Ou entra no ‘esquema’ vendendo a própria alma ou aventura-se por mares turbulentos, ignorando se conseguirá vencer ou não terríveis tempestades. Esse é o divisor de águas. Uns trafegarão com seus helicópteros e learjets muito acima dos engarrafamentos destinados às massas burras, enquanto outros serão tachados de idiotas ou incompetentes por não se sujeitarem às intermináveis negociatas que transformam da noite para o dia, um ‘Zé Ninguém’ em competente e bem sucedido empresário.


Construir uma marca tornou-se, portanto, um desafio descomunal para algumas empresas. Competir com monstros com capacidade de comunicação desproporcional chega a ser quase um lento suicídio. Não há como chamar a atenção do consumidor ou usuário com uma simples página de revista, se o concorrente tem poder para comprar dez páginas, ou até a revista inteira. Não é possível colocar seus produtos em uma rede de lojas se os espaços em suas gôndolas são comprados pelos grandes a preço de ouro para bloquear o pequeno empreendedor. Algumas empresas de grande porte chegam a impor condições a seus clientes no varejo, que para ter suas marcas famosas deverão retirar de suas prateleiras determinadas marcas que porventura a incomodem com preços menores ou qualquer outra razão. Um jogo bruto, marcado pelo poder financeiro, onde a fonte dos recursos pode ter insondáveis origens.

Filósofo Gilles Lipovetsky  
Cada ano novo que começa, faz renascer as esperanças de muitos. Todavia, convém lembrar que os atores da peça continuam os mesmos. Trocam-se apenas alguns papéis para engodo da massa manipulada que aplaude. Uma enorme angústia toma conta daqueles que a tudo assistem impotentes. Filósofos, pensadores, poetas, ou meros figurantes de uma ópera bufa aos quais lhe concedido o direito de pensar sem opinar para que não se traga luz aos recantos escuros de um palco onde os principais personagens são na verdade falsas imagens projetadas a gerar a ilusão de um espetáculo de grandes proporções, enquanto uma platéia sob torpor delira em aplausos seu próprio esbulho.

Por conta dessa minha forma de pensar, tenho procurado focar cada vez mais o meu trabalho como Estrategista/Consultor ou Coach junto àquele empreendedor, que acredita no trabalho sério como a melhor alternativa para a construção de uma marca forte, consciente de que o desafio será grande, mas com a certeza de que existe muitas oportunidades a serem exploradas quando se usa o pensamento estratégico aliado à coragem e determinação para alcançar metas audaciosas. Enquanto isso, torçamos para que a nossa nova Presidenta leve à sério o seu compromisso diante da nação, de atuar firme no combate aos desvios de recursos públicos, arrancados sem piedade de laboriosos cidadãos e empreendedores brasileiros.
________________________________________________


*Maurício A Costa é um obcecado por resultados, gerado pelo pensamento estratégico, focado em gente, inovação, e criação de valor agregado. Executivo com experiência internacional em empresas como a Kimberly Clark, Grupo Gerdau, Grupo Grendene/Vulcabrás e o Grupo Tecnol (Atual Luxottica); está disponível para participar da construção de marcas fortes, em organizações sérias, interessadas na identificação de novas oportunidades, na superação de desafios, e na melhoraria de resultados e rentabilidade. No plano pessoal, é o idealizador do Projeto Mentor Virtual; organização comprometida com o despertar da consciência humana, a valorização da vida e o apoio à construção da marca pessoal. Suas palestras, seminários e workshop - presenciais, 'in-company', ou por vídeo conferência - estão disponíveis, sob consulta, para associações, universidades, escolas, ou empresas em qualquer região ou país, e poderão mudar a sua visão do mundo, e alavancar o potencial de sua equipe. Disponível também para atuar como 'Conselheiro' para Empresas, Empreendedores ou Executivos.

Contatos: mauriciocosta@uol.com.br

 

12 comentários:

  1. Ao amigo Maurício Costa e todos os seguidores do Marcas Fortes desejo um ótimo 2011... que a paz, saúde, trabalho e harmonia sejam uma constante! Que a nova presidente cumpra o que prometeu em seu discurso de posse... que a pobreza diminua e que todos tenham realmente uma vida digna, com acesso a boa educação e saúde! Que Deus ilumine a todos os corações e mentes e faça deste país uma grande nação.E que nós pelo exercício da cidadania nos movimentemos para extinguir a corrupção, eis que esse é fatalmente o câncer que mina a República Federativa do Brasil!!!!Regina Coeli.

    ResponderExcluir
  2. Muitos pensamentos vêm em minha mente sobre sua fala. Tenho um emaranhado de idéias, de anseios que precisariam ser concretizados, mas é necessário coragem, acima de tudo, para tanto. O que fazer? Acredito, que acima de tudo, é necessário, fazer o que acreditamos ser correto. Acreditar que o tempo é curto e devemos aproveitar as oportunidades como aprendizado e escola... a vida é uma escola... o trabalho é uma grande oportunidade de aprendizado, acima de tudo... Queremos tantas coisas, planejamos tantas coisas, sonhamos com tantas coisas, queremos realizar tanto... o que devemos fazer? Apenas sermos éticos, competentes, trabalharmos e amarmos nosso trabalho e fazermos o melhor e com muito amor... os frutos são o resultado do que plantamos e a fruta é tão doce quanto a qualidade da semente e do cuidado... O resultado é proporcional ao ser diário...

    O governo poderá ser bom ou ruim, espero que seja bom, para que todos sejamos beneficiados... o benefício é a alegria, a saúde, o conforto e esperança... que a presidente do Brasil receba as energias boas das pessoas de bem, para que possa realizar grandes feitos por esta nação... ela está no poder... então, que faça o melhor para o engrandecimento e fortalecimento do nosso Brasil.

    Maurício, parabéns por seu trabalho !!! Que 2011 seja um ano de grandes inpirações, de muita saúde e de grandes realizações.

    ResponderExcluir
  3. Maria Célia Lorenzettijaneiro 02, 2011

    Excelente pubicação.Temos que nos unir para fazer um Brasil melhor.Suas palavras Mauricio são de encorajamento,pois muitas vezes achamos que estamos sozinhos em nossos alucinadores desejos por justiça,honestidade,boa educação,saude,trabalhos dignos.Para se firmar como nação temos antes de mais nada, ter respeito pelo povo.Nosso povo é maravilhoso,trabalhador,gente que pega no batente.Torço para que a nossa presidente,faça um governo digno de qualquer ser humano,que reconheça o nosso povo como gente que arde em chamas por uma vida com qualidade neste planeta.

    ResponderExcluir
  4. Gostei do texto. Compartilho das suas percepções. Acredito que os recursos da Web 2.0 e a força da nova geração. Também acredito que o empreendedorismo do bem tenha condições de se impor, valendo-se de ferramentas e dos valores que fazem prevalecer a autencidade. As novas comunidades estão se formando em torno de princípios mais autênticos. Vamos mapear estes novos atores? Conte com o projeto da rede social da acinews - www.acinews.ning.com e do mercados do futuro - www.mercadosdofuturo.com.br como aliados.

    ResponderExcluir
  5. Compartilho da sua visão. Também acredito no poder do empreendedorismo como força motriz de novos horizontes para o país. Atualmente contamos com ferramentas que abrem um portal de oportunidades jamais vistas em toda a história da humanidade. As comunidades estão se constituindo em torno de valores e princípios. Enfim, conte com a rede social da ACI www.acinews.ning.com e o blog mercados do futuro www.mercadosdofuturo.com.br como aliados

    josué de menezes

    ResponderExcluir
  6. Querido Maurício, parabéns pelo excelente trabalho que vem fazendo.
    Acredito que o gov. Dilma, será de bom para excelente.. assim todos nós esperamos,como sou positiva, e acredito piamente nas palavras dela, fica faltando a ação. Quem viver verá.
    Bjus, FELIZ ANO NOVO!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Maurício, parabéns pelas matérias!
    Uma boa leitura ajuda a compreender melhor o mundo, não esta apenas delimitada a uma decifração de símbolos, mas sim em uma boa interpretação,compreensão e aproveitamento da leitura.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Camila Dutrajaneiro 03, 2011

    Venho acompanhando seu trabalho pelo livro, pelas matérias e sempre estou sendo edificada e tendo algum conhecimento acrescentado em minha vida..acredito que virá muito mais.
    Continue compartilhando desta vasto conhecimento e deste dom que Deus te deu para fazer deste mundo melhor!
    Feliz 2011 e que seja um ano de muito sucesso!!
    Camila Dutra

    ResponderExcluir
  9. Mauricio,
    Muito me preocupa essa inércia das pessoas. Acostumadas com 'pacotes prontos'. Não aceitam nada que as obriguem a pensar, questionar. Os brasileiros, em sua maioria, infelizmente são assim. Se deixam seduzir facilmente por discusos fantasiosos, sem se darem conta que estão sendo engolidos por esses grupos de manipuladores. Você foi muito intenso neste artigo, quase não nos deixou nada a comentar. Compartilho a perplexidade.
    Abçs. carinhosos.

    ResponderExcluir
  10. Maurício!
    Continuo te seguindo e aprendendo!
    De alguma forma, contribuístes para que eu alcançasse um " sonho tão sonhado"!
    Obrigada!
    Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
  11. Essa leitura me trouxe muitos pensamentos que vão longe... Tornei-me um seguidor de suas páginas porque tenho muito o que aprender e trocar contigo. Que 2011 seja recheado de sucesso para todos e o começo de um caminho para mais aprendizagens!

    ResponderExcluir
  12. ESPERO UM PLANETA MELHOR , UM PAIS MAIS JUSTO E O CORAÇÃO REPLETO DE AMOR PARA TER PACIENCIA.
    OBRIGADA POR TUDO E FELIZ 2011 MAURICIO.
    BEIJOS ALEGRES A TODOS.

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar aqui as marcas de sua passagem...
Seus comentários serão sempre bem vindos.