Translate The Blog - Click Here / Traduza o Blog - Clique Aqui

sábado, 25 de dezembro de 2010

Marca é Uma Impressão Que Fica Para Sempre




Por Maurício A Costa*

"Para enxergar os segredos de cada pequeno elemento da vida a pulsar à sua volta, o ser humano redescobre a criança em seu interior, ou algumas vezes viaja pelos labirintos da loucura. Por fluir como energia, a alma em sua busca pelo sublime não se submete aos parâmetros limitantes da mente". ('O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP). 


____________________________________

‘Para o escritor, a história nunca termina. Como névoa, alguns personagens se esvaem, enquanto outros suavemente vão surgindo. A vida é um reciclar eterno, revelando toda beleza e magia da fantasia que formos capazes de criar, para deixar marcas indeléveis que permanecerão para sempre’... Quando citei essa frase na página do Facebook alguns dias atrás, minha alma viajava por um tempo impreciso, divagando entre momentos inesquecíveis da adolescência. Das escuras cavernas do inconsciente afloravam imagens, palavras e sons de uma incrível poesia real, transformando vida em fantasia.

Quando ainda muito jovem e pouco entendendo sobre o amor, vivenciei momentos de uma terna paixão que ficaram marcados para sempre na história da minha vida. Não foi um encontro casual, tampouco algo planejado. Apenas uma confluência de afinidades pela leitura, pela música e pela beleza da vida. Ela uma mulher madura, muito elegante e extremamente culta, (o que provavelmente despertou meu interesse), era de uma beleza singular, voz macia e olhar carinhoso. Sempre que a avistava, sentia a sensação de estar na presença de uma fada saída dos meus próprios sonhos. Não havia atração sexual a princípio, o amor era como uma doce música celta a penetrar mansinho, de forma platônica; sem arroubos ou ímpetos instintivos. O interesse em conhecer um ao outro fazia nascer lentamente uma admiração recíproca por conta do belo que enxergávamos em volta e através de nós. Isso era tudo e parecia bastar.

Qualquer psicólogo de plantão com visão Freudiana diria de imediato, se tratar de projeção materna, por conta do acolhimento que se produz em momentos como esses. Todavia, minha percepção desse fato, nos dias atuais, está mais para uma análise na linha do Carl Jung por considerar que nossas ações e comportamentos são ditados pela variação de carga genética que carregamos ao longo de milhões de anos. Como somos a síntese da fusão de muitas almas através de gerações, transportando uma miscelânea de sensações, sentimentos e percepções gravadas no mais profundo do nosso subconsciente, reagimos diante de determinadas situações de acordo com nossas peculiaridades. Nascemos como uma marca única, resultante dessa fusão, e, portanto, nossas reações não podem ser catalogadas como fruto de comportamentos padronizados. Nossas atitudes são personalíssimas, incomparáveis e determinantes para formar nossa personalidade ao longo da existência. 

Alguns anos após esse enlevo passageiro de que trago suave lembrança, respeitando as diferenças de situação, senti-me nas cenas de um dos mais belos filmes de que guardo lembrança, ‘Verão de 42’, estrelado por uma das mais lindas mulheres do cinema, a atriz Jennifer O’Neill. Numa história sem fim, em que a vida imita a arte e arte copia a vida, eu me via retratado em alguns momentos daquele filme de maneira terna, como se fragmentos de mim viessem à tona de forma singela e fossem projetados para o mundo, revelando pedaços de uma história que ainda teria muito por contar.


Hoje, passado tanto tempo, não me sinto perplexo, como muitos que conheço, ao ver mulheres maduras apaixonadas por jovens com idade muito inferior. Vejo apenas gaivotas solitárias, em busca da liberdade. Almas que, mesmo ilusoriamente acompanhadas por pessoas que já não as amam, ou por quem não nutrem mais qualquer sentimento, viajam perdidas em meio a sufocante solidão, que produz desgaste e morte prematura do pulsar da vida. 

Em muitos dos meus contatos diários no Facebook percebo essa angústia presente nas entrelinhas de muitos diálogos. Uma carência implícita em cada pequena frase, em cada mínima expressão, em todos os desabafos e íntimas revelações. Sem se dar conta, muitas vezes o escritor, o consultor ou o coach se torna um ‘personal advisor’, uma espécie de mentor virtual de plantão, tentando decifrar o que se passa por trás de uma tela de computador, a centenas de quilômetros, ou quem sabe milhares, com uma alma aflita em busca de socorro para essa angústia. Como decodificar informações de alguém que nem sempre pode ou deve se abrir com alguém que mal conhece? Como ajudar sem deixar-se envolver emocionalmente? Como transmitir palavras acertadas em momentos turbulentos sem gerar mal entendidos? Questões aparentemente banais, mas que fazem enorme diferença quando se trata de seres humanos das mais diversas origens, nacionalidades ou situações, em busca de respostas para coisas que sequer sabem perguntar. Afinal, "O que somos? O que queremos? Onde queremos chegar?... Perguntas simples cujas respostas podem definir rumos. Enquanto a alma clama por vôos livres, a mente cobra trilhas seguras. Para superar crises existenciais basta entender que somos frutos de nossas próprias escolhas". ('O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP).

Tudo o que posso aconselhar em momentos de questionamentos existenciais como esses, é que soltem as amarras e se deixem levar pelo fluir da própria vida, pois essa não permite replays. Costumo dizer, que enganam a si próprios aqueles que ingenuamente acreditam em segunda chance após a morte. A vida acontece no agora, no pulsar de cada célula, em cada arrepio da pele, ou em cada batida do coração. Por isso, é fundamental percebê-la acontecendo dentro ou em volta de cada um nós, e para tanto, é decisivo romper paradigmas sob a forma de tabus, e encará-la sem falsos pudores, consciente de que o tempo flui de maneira inexorável. 

Por ser pura energia, o amor é um mistério. Não é possível controlá-lo, planejá-lo, escondê-lo, e muito menos represá-lo. Não precisamos procurá-lo, pois ele acontece de maneira natural. É um erro querer ignorá-lo; Maior ainda sufocá-lo quando brota espontâneo das profundezas de nossos mais incógnitos instintos. Por isso, recomendo: Não se leve demasiadamente a sério. Descubra-se e se renove a cada momento. Vale a pena aventurar-se fora do casulo para sentir-se parte de algo maior. Não desperdice seu único e precioso tempo imaginando o que outros irão pensar ao seu respeito. ‘O extraordinário só pode ser percebido quando se voa além do convencional’, (O Mentor Virtual - pág. 22).  

Certa vez, o mentor virtual me ensinou que, "Desperdiçamos o melhor de nossa vida refletindo sobre culpas de um passado que se evapora ou esmagados pela ansiedade de um futuro que ainda não chegou. Nossos sonhos e desejos gritam por espaço em um estreito momento chamado presente". ( 'O Mentor Virtual II' - O Elo Invisível - Campinas-SP).

Aquele verão de um passado que já se tornou longínquo, ensinou-me que não podemos viver o antes nem o depois; toda nossa energia reside no agora. Aquilo que o nosso coração definir como verdade isso deve alimentar o nosso sonho. Como diz o texto inicial, ‘a alma não se submete aos parâmetros limitantes da mente’. Nossa marca pessoal é resultante de impressões milenares que nos afetaram, e será essa marca que deixaremos gravadas para sempre naqueles que com amor conseguirmos tocar.
_________________________________

______________________________________

*Mauricio A Costa, é Pensador/Estrategista. Expertise em projetos e assessoria para alavancagem de receitas e rentabilidade. Sua experiência internacional está focada em assuntos ligados ao pensamento estratégico voltado à inovação, criação de valor agregado, e fortalecimento de marcas - comercial ou corporativa. Está disponível, sob consulta, para atuar como Membro do Conselho de Empresas de qualquer porte.
É o idealizador do Projeto Mentor Virtual; organização comprometida com o despertar da consciência humana, a valorização da vida e o apoio à construção da marca pessoal. Suas palestras, seminários e workshop - presenciais, 'in-company', ou por vídeo conferência - estão disponíveis, sob consulta, para associações, universidades, escolas, ou empresas em qualquer região ou país.
Contatos: mauriciocosta@uol.com.br




10 comentários:

  1. Não sei o que dizer...Me emocionei...Não só pela música...Não.Foi o que disse.Parece que foi escrito para mim...Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Maurício, que matéria esplêndida.
    Desculpa-me a ausência aqui no teu blog nos últimos tempos. Como boa camaleoa , estou em fase de mudança ...interna (renovação eterna) e de cidade.
    Fiquei muito tocada com tuas palavras e com as belas músicas.
    A recordação deste filme espetacular foi muito feliz. Falas de coisas profundas, de grande verdade ! O AGORA é tudo o que temos. Está nos olhando-quiçás de braços cruzados neste exato momento- esperando que o usemos . Minhas amarras estão quase todas soltinhas ...talvez uma ponta de laço , teime em não se desfazer, mas um esbarrão acabará por soltá-lo.
    Esta mulher do teu passado, "tua Jennifer" é um tesouro , que -posso ver- guardas com cuidado e ainda com o frescor daquela juventude . A criança, o jovem que porventura ainda temos dentro de nós ( eu tenho ...tu tb )ás vezes perde-se nos labirintos , mas , curiosa , insaciável, sempre acha seu jeito de retornar e recomeçar a brincadeira.
    Parabéns querid e inpirado amigo. Feliz Natal ! Continue nos alegrando os ouvidos, os olhos e a alma ! bjo
    Denise

    ResponderExcluir
  3. Marca para mim é a minha história, aquilo que posso chamar de missão. A maioria desconhece. Abençoados os que o reconhecem ainda jovens. Eu os admiro.
    Olhar para trás com olhos de quem encontrou seu elo perdido. Creio que aquela primeira impressão que ficou, já não será a mesma, para si mesmo.


    Feliz Ano Novo!

    Sandra.

    ResponderExcluir
  4. Querido Maurício,

    Lindo seu texto!

    Falar de amor é sempre um presente, eu particulamente acredito que o amor é um sentimento que se constrói aos poucos, mas é genuíno no sentir, quando se ama, se ama por infinitas possibilidades e dependendo do estágio de sua vida ganha características muito distintas. Cada pessoa representa um universo de amor.
    A melhor forma de amor é aquela que acontece quando almas se reconhecem, quando palavras não precisam ser ditas e tudo flui para ser o que é - amor.

    Super bj

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Chegando para te desejar que 2011 venha repleto de surpresas maravilhosas p vc!!

    Aproveito para informar que, para abrir maravilhosamente este novo ano, o Mix e a Andros Editora estão com uma mega promoção imperdível!
    Passe lá: http://www.mixculturainformacaoearte.com/2010/12/mega-promocao-andros-editora-e-blogs.html

    Aviso tb que:
    PERCEBI, VISITANDO MEUS SEGUIDORES E OS BLOGS QUE SIGO, QUE NÃO ESTOU COMO SEGUIDOR DA MAIORIA DELES. E NÃO CONSIGO SEGUIR, DIZ QUE O DONO DO BLOG ME BLOQUEOU...
    QUERIDOS ESTOU SEGUINDO VOCÊS SIM VIU? SÓ NÃO CONSIGO MAIS ME INSCREVER NOVAMENTE NOS SEGUIDORES...

    ResponderExcluir
  6. GOSTEI MUITO DO SEU TEXTO,PRINCIPALMENTE QUANDO VOCÊ FALA DA IMPORTÃNCIA DO AQUI E AGORA,DO HOJE!!E POSSO TE AFIRMAR QUE MESMO ACREDITANDO NA REENCARNAÇÃO(QUE NÃO CONSIDERO COMO UMA SEGUNDA CHANCE,MAS COMO A CONTINUIDADE DA PRÓPRIA VIDA,FAZENDO PARTE DE NOSSO PROCESSO EVOLUTIVO),ACHO FUNDAMENTAL VIVER O PRESENTE ,COM TODA A FORÇA QUE ELE TRAZ!!!MUITO BOA A SUA ÊNFASE DADA PARA O NOSSO HOJE!!ISSO É FUNDAMENTAL!!UM GRANDE ABRAÇO!!MARISA GAZZI XAVIER

    ResponderExcluir
  7. Comentário enviado por Lígia Azevedo [mailto:ligia.azevedo@terra.com.br]
    Enviada em: domingo, 26 de dezembro de 2010 10:20
    Para: mauriciocosta@uol.com.br
    Assunto: Encontro comigo mesmo

    Prezado Maurício.
    Há pouco tempo, o conheci através do Face. Aos poucos fui entendendo os motivos porque tenho uma MARCA FORTE. Seus textos estão dando palavra aos meus atos. Agora posso entender melhor porque venci. Fui criança vencedora, adolescente vencedora, mãe vencedora, enfim uma mulher que venceu todas as batalhas, algumas mais intensas e prolongadas, e ainda não posso lhe dizer que venci uma guerra. Esta vencerei quando conseguir ter a tranquilidade de, de imediato, ver esta luta como presente de Deus para continuar crescendo." A ficha cai após algum tempo, a cada dia, mais curto, contudo, suficiente para deixar marcas no meu corpo marcado pelo esforço dedicada, por 15 anos, a ser campeã de ginástica e 35anos para ser a mais conhecida professora de ginástica do Brasil, o que consegui.. Dois fatos ficaram na minha lembrança. O primeiro e mais importante para a minha carreira.em 1965 foi quando, integrante da Seleção Brasileira de Ginástica em um um mega evento em Viena, que reuniu 10.000 ginastas , em Viena, hoje explica as mazelas que maltratam meu corpo Na ocasião tive oportunidade de conhecer ginastas de todo o mundo e trocar informações das mais avançadas técnicas. Certa vez perguntei a um ginasta Japonês, campeoníssimo, como chegar à tal perfeição. Respondeu-me: "quando chegamos ao final das nossas forças fazemos mais uma vez". O outro fato, que maltratou meu coração, foi em Viena que fui conhecer após o término da ginástica. Ao ver as suas fotos, veio-me à lembrança, a beleza destes canais, que foram testemunhas da minha busca pelo rosto do ginasta austríaco por quem me apaixonei e que, ao se despedir beijou-me pela primeira e única vez .Este fato deixou uma linda marca no meu coração.
    No primeiro semestre de 2011 será publicado meu quarto livro, Aventuras e Receitas de Ligia Azevedo (Bestseller). O primeiro, de ginástica, Receita de Mulher:o desafio do Corpo (Nova Fronteira); o segundo, Caloria Limitada Receita de Saude (Salamandra) , o terceiro Receitas de SPA (Record). Os primeiros estão esgotados.
    .
    Finalizo enviando meus votos de Feliz Ano Novo, minha admiração e um grande abraço
    Ligia Azevedo .

    ResponderExcluir
  8. Mauricio,

    Um prazer imenso conhecer teu espaço, teu pensamento e teu livro.

    "Vale a pena aventurar-se fora do casulo para sentir-se parte de algo maior."

    Teu blog é maravilhoso, riquissimo, profundo, adorei teu artigo.A citação acima,nos permite refletir a necessidade e possibilidade de ir além do que somos e descobrir que somos muito mais do que o "pequeno eu" que imaginamos ser..

    Te desejo um Novo Ano próspero, feliz,alegre, iluminado em todos os sentidos e áreas da tua vida...muito sucesso sempre e cada vez mais!
    abraços carinhos!

    Mariangela
    blog O Despertar de uma Alma)

    ResponderExcluir
  9. Mauricio...
    Nesta minha louca vida, vida louca; o amor sempre se fez presente. Quando eu amo... não sou louca, sou apenas amor. O amor não compreende idade nem tabus. Ele simplesmente acontece. Trago em minha alma marcas de amores feito tatuagens. Que levarei para sempre...
    Abçs. carinhosos.

    ResponderExcluir
  10. " A VIDA TEM ONDAS QUE VEM E VÃO E PARA CADA ONDA QUE SE VAI LEVA ALGO DE NÓS COM ELA " - Verão de 42 - Maurício...Maurício..., vc tocou no meu ponto fraco.Cada vez me convenço que temos muita coisa em comum. este foi o filme mais lindo que assisti,na época gravei em fita VHS , assisti dezenas de vezes. Me apaixonei perdidamente por ele. Não foi a minha história , mas me falou ao coração ´por entender o significado e a profundidade da palavra "carência afetiva". Lendo sua postagem me comovi. Essa música é meu tema pela beleza, suavidade, delicadeza e lirismo. Foi muito bom ouvi-la lendo suas palavras tão bem colocadas. Você é um homem sensívelmente profundo, sorte de quem o tem ao lado. Abraços ternos

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar aqui as marcas de sua passagem...
Seus comentários serão sempre bem vindos.